Sabiam que nos Exercícios Espirituais de Santo Inácio a palavra “amor”, uma palavra tão importante, quando falamos de Deus, aparece muito pouco, quase só no final? Santo Inácio convida-nos a rezar, a contemplar Jesus nos Evangelhos e a pedir a graça de “conhecer o Senhor que por mim Se fez homem para que mais O ame e o siga”, mas a palavra AMOR como tal só aparece quando ele nos fala da Eucaristia. Santo Inácio escreve: Jesus “instituiu o sacratíssimo sacrifício da eucaristia, em grandíssimo sinal de seu amor, dizendo: Tomai e comei” (289).

É como se Santo Inácio quisesse dar todo o seu peso e profundidade a esta palavra, “Amor”, que muitas vezes não é compreendida e é usada sem sentido. Como se só pudéssemos compreender o que o amor realmente significa depois de termos percorrido a vida de Jesus, e na Eucaristia. Aqui mostra-nos o que realmente significa. Não se trata de um “amor” teórico, nem de uma ideia. O amor é concreto, é uma relação com os outros através das nossas vidas e gestos concretos. É o que nos mostra São João Evangelista, quando, em vez da Eucaristia, nos apresenta o “lava-pés”, Jesus ao serviço dos outros, como se nos estivesse a dizer: “é a mesma coisa”.

Nesta festa do Corpo e Sangue de Cristo, a festa do MEJ, lembremo-nos disto: que o amor deve ser colocado mais nos atos do que nas palavras. Porque, como diz São Paulo: “Se me falta o amor, nada sou” (1 Cor 13, 1-3). Obrigado pela sua generosidade ao serviço do MEJ.

Frédéric Fornos SJ
Diretor Internacional